Siga
Live-btn-2
Live-btn-2
web tv
Segunda, 24 Fevereiro 2014 15:05

Mensalão: mais um vai pra cadeia

Agora foi a vez do ex-deputado Roberto Jefferson. Preso em casa, ele foi levado para a superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. Delator do esquema do mensalão, Jefferson foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 7 anos e 14 dias de prisão.

O Supremo Tribunal Federal (STF) havia determinado a prisão na sexta-feira (21), mas a polícia  aguardava receber o mandado com a ordem, o que ocorreu no fim da manhã de hoje. Além disso, Joaquim Barbosa negou o pedido de Jefferson para que ele cumprisse a pena em casa. O ex-deputado argumentou que precisa de cuidados médicos especiais porque ainda está em tratamento contra um câncer no pâncreas. Com a prisão domiciliar negada, terá de cumprir a pena em um estabelecimento prisional, em regime semiaberto (no qual o preso pode sair durante o dia para trabalhar e voltar à noite, para dormir na prisão).

Ao longo do fim de semana, agentes da Polícia Federal fizeram plantão em frente à casa de Jefferson. Ontem, domingo (23), pela manhã, Jefferson saiu para um passeio de moto, que durou cerca de três horas e meia. Ao voltar para casa, disse aos jornalistas que estava "desfrutando" os últimos momentos de liberdade.

Dos 25 condenados no processo do “Mensalão”, Jefferson é o 19º. Vinte tiveram prisão decretada, mas um deles, Henrique Pizzolato, fugiu para Itália e está detido lá desde o dia 5 de fevereiro. O Brasil deverá pedir a extradição na semana que vem para que a pena seja cumprida em território brasileiro. Outros três cumprem pena alternativa e dois aguardam resultado de recursos, mas não serão presos porque tiveram penas menores de quatro anos, quando é possível converter a punição em prestação de serviço ou pagamento de multa.

Dirceu arrecada mais de R$ 1 milhão para pagar multa do mensalão

Dez dias de campanha e o site criado por familiares de José Dirceu conseguiu arrecadar, via doações, valor suficiente para pagar a multa imposta ao ex-ministro da Casa Civil pelo Supremo Tribunal Federal (STF), dentro do processo do mensalão. Uma mensagem de agradecimento no site informa que foram arrecadados R$ 1.083.694,38, valor que supera o da multa, que é de R$ 971.128,92, com 3.972 doadores de todos os estados brasileiros. O texto de agradecimento diz que o resultado é “uma clara demonstração do alcance nacional do apoio a José Dirceu.”

“Graças à colaboração de milhares de brasileiros, atingimos o valor da injusta multa imposta pelo Supremo Tribunal Federal ao ex-ministro José Dirceu. Temos certeza que muitos outros também gostariam de colaborar, mas já alcançamos nosso objetivo”, diz o texto de agradecimento. 

Além de Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoíno e ex-tesoureiro Delúbio Soares fizeram campanhas para arrecadar dinheiro e pagar a multa. A família de Genoíno arrecadou R$ 761,9 mil, pagou a multa de R$ 667,5 mil e doou um excedente de R$ 94,4 mil para Delúbio. O ex-tesoureiro, por sua vez, conseguiu mais de R$ 1 milhão, pagou R$ 466,8 mil e usará R$ 372 mil para pagar a multa do ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha, também condenado e preso.




Fontes: uol.com e globo.com
Published in Brasil
Mais 15 policiais militares acusados de participar da morte de oito detentos no Caramdiru estão no banco dos réus a partir de hoje, segunda-feira (17). O julgamento ocorre no Fórum Criminal da Barra Funda (SP), mais de 21 anos depois do ocorrido, em 2 de outubro de 1992.

Na ocasião, 111 presos foram mortos após uma briga interna que acabou com a invasão da Tropa de Choque da Polícia Militar paulista, que, na Justiça, responde por 102 dessas mortes. Contra as demais nove vítimas não ficou comprovada a ação dos policiais. Até agora, são 48 policiais condenados.

Ao todo, 83 policiais respondem pelos assassinatos no Carandiru. Até agora, são 48 foram condenados e para todos os casos, ainda cabe recurso.

A previsão é que o julgamento que começou hoje dure ao menos uma semana, já que, com a troca de advogados dos PMs, a opção da defesa é pelo interrogatório de todos os réus. Nos julgamentos passados, apenas alguns representantes dos réus haviam optado por falar.

Nas duas primeiras etapas do julgamento, no ano passado, os PMs que atuaram nos dois primeiros andares do prédio foram condenados, respectivamente a 156 e 624 anos de prisão. A Justiça decidiu, em primeira instância, que eles concorreram para a morte de 13 presos no primeiro andar e outros 52 no segundo andar.

A acusação dos policiais será feita pelos promotores Márcio Friggi - que atuou no primeiro júri - e Eduardo Olavo, que participou do segundo. O juiz Rodrigo Tellini de Aguirre Camargo é o mesmo do segundo julgamento, que terminou com a pena de 624 anos para os acusados. Deverão ser ouvidas seis testemunhas de acusação e outras cinco de defesa.

Para hoje, devem ser ouvidas as testemunhas de acusação: o perito aposentado Osvaldo Negrini Neto, o pedreiro Marco Antonio de Moura, sobrevivente do massacre, e o ex-diretor de disciplina da Casa de Detenção, Moacir dos Santos. Outras três testemunhas definidas pelo Ministério Público não foram localizadas.

Entre as testemunhas de defesa, previstas para serem ouvidas nesta terça-feira, estão o ex-secretário de Segurança Pública do Estado à época do massacre, Pedro Franco de Campos, desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo e agentes penitenciários.




Fonte: terra.com 
Published in Brasil

Newsletter

Fair

29°C

Framingham, MA

Fair

Humidity: 56%

Wind: 4.83 km/h

  • 1 Sep 2014

    Mostly Clear 29°C 20°C

  • 2 Sep 2014

    Mostly Sunny 33°C 21°C

  • Capital
  • GPMaia
  • Marcia-Pessanha
  • advogado-jose-tadeu
  • anuncie-aqui-banner
  • giubertidecor
  • global-plus
  • langer-chiropractic
  • neide-coutinho
  • perez-g