Siga
Live-btn-2
Live-btn-2
web tv
Segunda, 30 Junho 2014 00:00

Obama agirá se republicanos não votarem reforma de imigração

Rate this item
(0 votes)
Se os republicanos não agirem em julho, alertaram os democratas, mudanças unilaterais por parte de Obama serão inevitáveis.

A administração Obama “não está blefando” em seu plano de utilizar seu poder executivo para agir na política migratória se os republicanos na Câmara dos Deputados não atuarem logo, líderes democratas alertaram na quinta-feira, 26. O Presidente Obama suspendeu qualquer potencial de mudança de sua política de deportação para permitir que os líderes do Partido Republicano tenham tempo de votar uma reforma ainda neste verão. Entretanto, se os republicanos não agirem em julho, alertaram os democratas, mudanças unilaterais por parte de Obama serão inevitáveis.

“Nós estamos na reta final”, disse o Senador Robert Menendez (D-NJ) disse na quinta-feira, durante uma conferência de imprensa no Capitólio. “Nós não estamos blefando ao estabelecer uma data limite para que eles façam algo”.

“A função principal deles (republicanos) é governar”, acrescentou, “e na ausência de governo, então, você verá ações executivas”.

O Senador Dick Durbin (D-Ill.) juntou-se a Menendez, frisando que já se passou um ano desde que o Senado aprovou uma proposta ampla de reforma migratória com apoio bipartidário e exigindo que o porta-voz da Câmara, John Boehner (R-Ohio) permitisse a votação de um projeto de lei similar.

“Eu não sei quanto tempo mais ele pensa que precisa, mas eu espero que o porta-voz Boehner fale algo hoje”, disse Durbin, “e se ele não falar, o presidente pegará emprestado o poder necessário para resolver os problemas da imigração”.

Os comentários foram feitos um dia depois que Boehner anunciou suas intenções de pressionar para a aprovação de uma lei que permite acionar judicialmente Obama pelo que os republicanos alegam ser uma tendência habitual de abusar da sua autoridade constitucional.

“Quando existe a falha por parte do presidente de executar fielmente a lei, a Câmara possui a autoridade de desafiar essa falha”, escreveu Boehner em um memorando enviado aos legisladores da Câmara.

Boehner não citou exemplos dos abusos alegados, mas os republicanos continuam insatisfeitos com relação ao programa de Obama em 2012, que permitiu que jovens indocumentados trazidos aos EUA ainda na infância tivessem direito à permissão de trabalho e número do Seguro Social, afastando o risco de deportação.

O Senador Charles Schumer (D-NY), o terceiro democrata na Câmara Superior, disse que Boehner e outros críticos republicanos das ações executivas de Obama possuem um “antídoto bastante bom” para seus temores: “Ponham um projeto de lei em votação”.

“Ele se comporta como tivesse atirado nos próprios pais e se apresentado no tribunal como um órfão”, disse Schumer. “Aprove uma proposta e aquilo não acontecerá”.

“Se eles não apresentarem proposta alguma para votação, o presidente não terá escolha; em bases humanitárias e políticas, agir sozinho onde ele pode”, acrescentou.

Na terça-feira, 24, Boehner disse que o fluxo atual de crianças ao longo da fronteira sul do país somente dificultará a aprovação de uma lei em 2014. O porta-voz culpou Obama pela crise.

“O presidente está dificultando cada vez mais todos os dias para que possamos lidar com isso de forma responsável”, disse Boehner a repórteres no Capitólio. “Nós temos um desastre humanitário na fronteira. Grande parte disso, provocado pelo próprio presidente, na minha opinião, e isso somente dificulta o nosso trabalho porque as ações dele não levam em consideração a fronteira”.

Alguns ativistas defensores da reforma esperam que a “sacudida” recente na liderança republicana, que terá o Senador Kevin McCarthy (R-CA) brevemente substituído por Eric Cantor (R-Va) na mira do líder da maioria, poderia levar à reforma migratória ainda esse ano. Entretanto, no domingo, 22, McCarthy parece ter jogado um balde de água fria nessa possibilidade, dizendo ao canal de TV Fox News que ele planeja “não fazer nada com relação à imigração até que as fronteiras estejam seguras”, uma mudança radical de sua posição em janeiro, quando ele defendia a legalização dos imigrantes indocumentados “que os permitiria trabalhar e pagar impostos sem o temor da deportação”.

O líder da minoria na Câmara Steny Hoyer (D-Md) disse na quinta-feira, 26, que conversou com McCarthy na quarta-feira e encorajou o líder da maioria a apresentar uma proposta migratória para votação. Hoyer não revelou a resposta de McCarthy.

Fonte: BrazilianVoice.com
Read 134 times

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.

Newsletter

Fair

26°C

Framingham, MA

Fair

Humidity: 69%

Wind: 22.53 km/h

  • 23 Jul 2014

    Isolated Thunderstorms 32°C 19°C

  • 24 Jul 2014

    Isolated Thunderstorms 23°C 15°C

  • Capital
  • GPMaia
  • Marcia-Pessanha
  • advogado-jose-tadeu
  • anuncie-aqui-banner
  • giubertidecor
  • langer-chiropractic
  • neide-coutinho
  • perez-g