Siga
Live-btn-2
Live-btn-2
web tv
Jehozadak Pereira

Jehozadak Pereira

O número de brasileiras e brasileiros cidadãos norte-americanos já ultrapassou 100 mil nos Estados Unidos. Em Massachusetts, em 2013, nossa comunidade representou 44.7% de todos os imigrantes naturalizados, totalizando 1.776 brasileiros naturalizados. A nível nacional os brasileiros de Massachusetts perfazem 11.83% dos novos cidadãos mas esta percentagem deve ser bem maior porque os dados relativos a brasileiros nos Estados Unidos abrangem de 1991 a 2013 enquanto o número de brasileiros naturalizados em Massachusetts abrange apenas de 2004 a 2013. A informação é do Departamento de Imigração, USCIS, que todos os anos compila estatísticas relativas ao fluxo imigratório no país. 

Brasileiras e brasileiros continuam ocupando o segundo lugar em Massachusetts nas cerimônias de naturalização, com dominicanos em primeiro lugar, e Haiti, Índia e China logo depois do Brasil. Ano passado, a China ocupou o quarto lugar e a Índia o quinto. Em relação à região da Nova Inglaterra, Massachusetts é disparado o estado que mais brasileiros juram a bandeira, com Connecticut em segundo lugar com 341; New Hampshire 72; Rhode Island 23, Maine 10 e Vermont 8. 

Em 2013, o número de imigrantes naturalizados em todo o país (779,929) aumentou ligeiramente em relação a 2012 (757,434), mas o número de imigrantes da América do Sul caiu de 76,992 em 2012 para 76,167 em 2013. Esta mesma tendência é experimentada em Massachusetts onde o número de imigrantes jurando a bandeira caiu de 22, 753 em 2012 para 21,404 em 2013. Os brasileiros de MA representam 44.7% de todos os imigrantes naturalizados no estado ano passado.

“Estes dados são expressivos”, disse a diretora-executiva do Grupo Mulher Brasileira, Heloisa Maria Galvão, explicando: “Cem mil é um número impressionante porque não interessa onde estes brasileiros estão. O que interessa é que eles têm poder de decisão e podem usá-lo quando quiserem. Eu gostaria de saber quantos são eleitores. Cem mil elege um presidente. A nossa comunidade depende dos políticos para ter mais respeito, dignidade e justiça e se só em Massachusetts temos quase 10 mil brasileiros eleitores, isso quer dizer que se toda esta população estiver presente e votar, podemos mudar o rumo das coisas”.

Outro dado interessante, disse Heloisa, é que os gráficos da imigração mostram que os brasileiros se naturalizaram em todos os estados do país, com exceção do Havai. Wyoming e postos das forças armadas registraram o menor número (4, cada), seguidos de Montana com 5 e a Florida registrou o maior número com 2,255. 

“Este ano fizemos uma parceria com o programa AmeriCorps e estamos oferecendo aulas de cidadania”, disse Heloisa. Um dos programas mais fortes do Grupo é o engajamento político e tradicionalmente nos concentramos em registrar eleitores. No entanto, este ano além das parcerias que temos com a MAPS e MIRA, por exemplo, estamos oferecendo aulas de cidadania”. 

Segundo a co-fundadora do GMB, a decisão deve-se ao fato de que as organizações notaram uma queda no número de brasileiros procurando classes de cidadania e “nós acreditamos que podemos ajudar porque nossa equipe está na comunidade, vive na comunidade, passa pelos mesmos problemas da maioria dos brasileiros e, portanto, tem condições de entender perfeitamente o que é não ter nível educacional na sua própria língua, não poder pagar o custo da naturalização, ter que faltar aula para trabalhar. Nós não estamos no Grupo para julgar as pessoas mas para dar as mãos e lutarmos juntas. As classes foram muito bem aceitas e os alunos aprendem no seu próprio ritmo. Nossas portas estão sempre abertas e quem vier será atendida(o) com carinho e respeito”.

O Grupo Mulher Brasileira oferece aulas de cidadania e inglês aos sábados e quinta-feira à noite. A voluntária Maria Lourdes da Silva está disponível para dar aulas em casa e durante o dia. Entrem em contato pelo telefone 617.202-577
O ex-atacante Fernandão que jogou no Goiás, São Paulo e Internacional, morreu na madrugada do sábado num acidente aéreo na região de Aruaná, interior de Goiás. Outras três pessoas que estavam no helicóptero onde Fernandão voava morreram também. Fernandão chegou a ser levado com vida para um hospital mas não resistiu aos ferimentos, 

Fernando Lúcio da Costa, o Fernandão tinha 36 anos, parou de jogar em 2011, e fez parte da diretoria do clube colorado por um período, tendo treinado o time profissional e era contratado do Canal Sportv onde seria um dos comentaristas na Copa do Mundo. 

Fernandão comandou e foi o capitão do Internacional nas conquistas da Copa Libertadores e do Mundial de Clubes em 2006 e foi campeão estadual pelo clube em 2005 e 2008, vencendo a Recopa Sul-Americana em 2007.
Na quarta-feira a noite, o bailarino Pedro Henrique Pupa, 20 anos, perdeu a vida ao ser atropelado por um caminhão enquanto andava de bicicleta em Sarasota, Flórida. Pupa que iria completar 21 anos neste mês de junho e estava fora do Brasil há quatro anos, chegou a ser levado para o hospital mas morreu na madrugada de quinta-feira, 5.

Pedro Henrique tinha uma história de superação e iniciou a sua carreira aos 12 anos em uma academia de São Paulo onde se formou aos 17 anos e se mudou para os Estados Unidos, passando a integrar a Sarasota Ballet e estudava na prestigiosa Miami City Ballett School e iria ser solista na próxima temporada mais uma vez e era um dos mais destacados bailarinos da companhia.

A Sarasota Ballet emitiu uma nota oficial onde fala do acidente e da carreira do brasileiro, “Como alguns de vocês podem estar cientes, ontem à noite o bailarino Pedro Pupa faleceu. O choque e a dor que todos nós sentimos pela morte repentina de Pedro é insuportável. Ele era um belo dançarino, um membro que trabalhava duro na companhia, um verdadeiro amigo, um filho amoroso e acima de tudo uma pessoa maravilhosa para simplesmente estar ao redor. Ele estará para sempre em nossos corações e nunca realmente terá ido embora”, diz a nota.

O corpo de Pedro Henrique Pupa será trasladado ao Brasil onde será sepultado.
Segunda, 09 Junho 2014 00:00

Esquenta!

Esquenta

Vem aí mais uma promoção imperdível das Rádios 650 AM, 1240 AM e 1410 AM. É o Esquenta, que vai acontecer no dia 12 de junho antes e durante Brasil x Croácia. O Esquenta será a partir da 1 PM na British Beer Company - 120 Worcester Road, Framingham, MA, 508.879-1776. Na British Beer Company é onde estará reunida a torcida brasileira de Framingham e do Metrowest. Será servida comida brasileira, além de bebidas brasileiras. A entrada é grátis e cada um será responsável pelo seu gasto. Vista a sua camisa da seleção, traga a sua bandeira do Brasil e venha fazer parte da torcida verde e amarela no British Beer Company.
A CBF divulgou na segunda-feira, 2, a numeração da seleção brasileira para a disputa da Copa do Mundo. A numeração de alguns jogadores mudou em relação a Copa das Confederações. Paulinho que era o 18 será o número 8; Hulk que usava a 19, será o número 7, já Júlio César que usava a camisa 1, usará a 12. Confira os números das camisas dos jogadores brasileiros:

1 - Jefferson
2 - Daniel Alves
3 - Thiago Silva
4 - David Luiz
5 - Fernandinho
6 - Marcelo
7 - Hulk
8 - Paulinho
9 - Fred
10 - Neymar Jr.
11 - Oscar
12 - Júlio César
13 - Dante
14 - Maxwell
15 - Henrique 
16 - Ramires
17 - Luiz Gustavo
18 - Hernanes
19 - Willian
20 - Bernard
21 - Jô
22 - Victor
23 - Maicon
O brasileiro Marcio Aquino Jr., morreu na manhã da segunda-feira, 2 de junho, num acidente com a motocicleta que pilotava na Rota 85 em Hudson. De acordo com reportagem do hudson.wickedlocal.com, Marcio Aquino Jr perdeu o controle da motocicleta Yamaha R6 2009, bateu no meio-fio, atravessou a calçada e se chocou com pedras na beira da estrada, disse o chefe de polícia David Stephens.

Por conta do acidente, a Rota 85 ficou fechada por cerca de três horas enquanto os peritos analisavam o local do acidente, que segundo o chefe Stephens continua sob investigação. Marcio Aquino era conhecido como Marcinho, tinha 21 anos, morava em Marlboro e pilotava uma motocicleta do mesmo modelo da foto que ilustra esta reportagem.
Os mosquitos e os carrapatos são mais do que pragas. Eles podem transmitir doenças que podem deixá-lo muito mal. A boa notícia é que existem passos simples que você pode tomar para se proteger a si mesmo e para proteger a sua família das picadas de mosquitos e carrapatos e as doenças que eles podem causar. Saiba como fazer isso nos vídeos instrutivos abaixo. Para mais informações, confira as nossas páginas web sobre mosquitos e carrapatos. Para ler mais sobre o assunto e assistir aos vídeos em português da campanha do Governo do Estado de Massachusetts clique aqui.

Enquanto o governo americano impede que empresas contratem imigrantes sem documentos para viver legalmente no país, ativistas provam que ele mesmo é o maior usuário de mão de obra indocumentada. Em 2013, cerca de 60 mil imigrantes indocumentados trabalharam em prisões americanas, a maioria por US$ 1 por dia ou apenas em troca do produtos como chocolate, crédito de telefone (ligações em presídios são caríssimas) e/ou somente o direito de frequentar áreas de lazer. O setor pode estar economizando cerca de US$ 40 milhões por ano, mas ativistas garantem que o valor pode chegar a US$ 200 milhões.

Esse tipo de trabalho tem gerado controvérsias, de um lado detentos e ativistas, do outro o governo e as empresas privadas que administram dezenas de presídios. Em abril, advogados de ONG que lutam pelos direitos dos imigrantes deram início a um processo contra autoridades de imigração em Tacoma (WA). Os detentos daquele estado tentaram fazer uma greve e foram ameaçados de serem transferidos para celas de solitárias. No Texas, houve uma tentativa semelhante, mas os guardas obrigaram outros detentos a cobrir as vagas deixada pelos manifestantes.

As autoridades federais garantem que a adesão ao programa de trabalho nas prisões é voluntário, está estipulado em lei e ajuda a economizar dinheiro dos contribuintes. O governo alega que, inclusive, o número de detentos querendo trabalhar seria maior do que o número de vagas. Ativistas garantem que não é voluntário e que as empresas privadas que dirigem muitos centros de detenção estão se aproveitando das regras previstas em lei para transformar os detentos em mão de obra barata.

No ano passado, 60 mil imigrantes trabalharam nas prisões pelo país, segundo o ICE. O trabalho barato, em alguns casos por treze centavos a hora, faz com que o governo e as empresas privadas economizem cerca de US$ 40 milhões por ano. Um trabalhador terceirizado custaria em média US$ 7.25 por hora. Alguns imigrantes não recebem nada pelo serviço, e outros são pagos com refrigerante, barras de chocolate enquanto trabalham principalmente na prepação de comida para o próprios colegas ou para outras instituições.

Ativistas reclamam que, ao contrário de criminosos que trabalham nos presídios sem direito a pagamento, pelo menos metade dos imigrante detidos acabam provando que de uma maneira ou de outra têm direito de estar no país. O caso de um imigrante mexicano que ganhava US$ 15 por hora em um restaurante e passou a ganhar $1 por dia durante os 19 meses que ficou preso injustamente, foi usado pelos advogados para entrar com o processo contra o sistema carcerário na Geórgia. Ele conseguiu provar que poderia permanecer no país. Entretanto teve de contrair uma dívida de US$ 75 mil com advogados para livrá-lo da cadeia.

O sistema de detenção de imigrantes custa cerca de US$ 2 bilhões por ano. “O trabalho na prisão ajuda também os detentos que se sentem mais produtivos e com isso contribuem melhor para manter a ordem no local”, disse a porta-voz da agência de imigração, Gillian Christensen. Ela afirmou que os detentos-trabalhadores não são oficialmente empregados e por isso o ‘pagamento’ não seria considerado salário e sim ajuda de custos. “Ninguém é forçado a trabalho. Aliás tem disputa pelas vagas”, finalizou.

A lei federal que estipula o trabalho voluntário dentro das prisões é datada da década de 50. Naquela época o valor estipulado foi de US$ 1 por dia (o que equivaleria atualmente a US$ 9.80). Em 1979, o caso foi revisto, mas o congresso decidiu não aumentar o valor. Uma ação judicial de ativistas tentou em vão modificar a lei.

O ICE usa 250 prisões nos Estados Unidos para manter os imigrantes indocumentados, sendo que em 55 delas existe o trabalho voluntário. Governos estaduais controlam 21 desses centros, o restante está nas mãos de empresas privadas.

De acordo com o ICE, os detentos não trabalham mais de 40 horas por semana e suas atividades são restritas aos serviços diretamente ligados ao sistema operacional dos centros de detenção. No entanto, ativistas garantem que ex-detentos da Joe Corley Detention Facility, em Houston (TX) afirmaram que trabalhavam na preparação de até 7 mil refeições por dia. A metade delas era enviada para outros presídios. Na Califórnia, os imigrantes do Contra Costa West County Detention Facility cozinhavam 900 refeições por dia para o abrigo de mendigos da cidade de São Francisco.

Fonte: AcheiUSA.com

Segunda, 02 Junho 2014 00:00

Boletim diário da Copa

O técnico Luiz Felipe Scolari saiu insatisfeito do treinamento de domingo na Granja Comary. Em entrevista, Scolari afirmou que não estava contente e com o rendimento de alguns jogadores.

A seleção desembarcou em Goiânia no domingo a noite e saiu direto da pista do Aeroporto Santa Genoveva, deixando os torcedores que aguardavam no saguão frustrados. A seleção joga na terça-feira contra o Panamá as 3 PM - hora de Washington DC.

Nesta segunda-feira, Luiz Felipe Scolari disse que vai ser avô e aposta que será um menino.

A bruxa estava solta em alguns amistosos envolvendo seleções classificadas para a Copa do Mundo no sábado. A Itália perdeu o meia Montolivo que fraturou a tíbia e passou por uma cirurgia. O mexicano Luis Montes havia feito um gol e jogava bem contra o Equador quando fraturou a fíbula e a tíbia e já foi cortado da delegação e também vai passar por cirurgia.

Nesta segunda-feira, Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa inaugurou o Centro Internacional de Transmissão - IBC na sigla em inglês no Rio de Janeiro. A vinheta do Mundial foi a primeira imagem a ser exibida e a cerimonia contou com a presença de Luiz Fernando Pezão, governador do Estado do Rio de Janeiro e de Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro. 
Na sexta-feira (30), o ex-candidato presidencial republicano Mitt Romney disse em Iwoa que gostaria muito de ver uma proposta migratória aprovada antes das eleições no final do ano. “Mas eu acho que o tempo está acabando para que isso aconteça”, disse ele a repórteres durante a campanha de apoio à candidata ao Senado Joni Ernst, na cidade de Cedar Rapids.

“Eu realmente acredito que seja importante para nós, antes da disputa presidencial em 2016, que finalmente tenhamos uma reforma migratória implantada”, acrescentou. “Eu não simplesmente penso que seja saudável para o país continuar com esse assunto não resolvido e, particularmente, com tantas famílias que esperam por respostas”.

Algumas famílias “esperam há anos e anos para entender o status daqueles que entraram no país ilegalmente no passado e aqueles que querem entrar legalmente saberem quais são seus prognósticos”.

Romney disse que aqueles que entraram no país ilegalmente “não deveriam ter direito à uma rota especial para a cidadania ou residência permanente”, mas comentou com uma gargalhada: “Eu não fui eleito, então, não tenho certeza se o meu ponto de vista prevalecerá no final das contas”.

Fonte: BrazilianVoice.com

Newsletter

Fair

29°C

Framingham, MA

Fair

Humidity: 61%

Wind: 22.53 km/h

  • 23 Jul 2014

    Isolated Thunderstorms 31°C 19°C

  • 24 Jul 2014

    Isolated Thunderstorms 23°C 15°C

  • Capital
  • GPMaia
  • Marcia-Pessanha
  • advogado-jose-tadeu
  • anuncie-aqui-banner
  • giubertidecor
  • langer-chiropractic
  • neide-coutinho
  • perez-g